mercoledì 18 ottobre 2017

Agência Ecclesia
As Cáritas dos países lusófonos afirmam que a Igreja “não pode ficar alheia” às problemáticas como a “pobreza, desigualdades e fome, intensidade dos fluxos migratórios” e no comunicado final do seu 9.º fórum apresentam linhas de ação. No documento enviado à Agência ECCLESIA, pela Cáritas Portuguesa, as organizações vão “contribuir” para que o conteúdo da Encíclica do Papa Francisco ‘Laudato Si’ se torne “mais acessível” como como ferramenta para “consciencialização da sociedade” adaptando-a à realidade social, económica e cultural de cada país. (...)