venerdì 2 giugno 2017

Agência Ecclesia
O responsável nacional das Equipas Jovens de Nossa Senhora diz que o Sínodo que a Igreja Católica vai dedicar às novas gerações, em 2018, é um teste à capacidade da juventude católica dar voz aos seus anseios e inquietudes. “O Papa pede-nos tantas vezes que saiamos do sofá e façamos as coisas por nós próprios, e depois não podemos ser incoerentes ao ponto de ter uma atitude de espera, de esperar que as coisas sejam feitas por nós”, frisa António Brandão Vasconcelos, para quem o Sínodo é antes de mais um apelo à “proatividade”. (...)